Verão exige maior atenção para a dengue

Já existem repelentes e inseticidas que podem ser adotados para a prevenção. É interessante lembrar que o mosquito transmissor da dengue, transmite também a Chikungunya e o vírus Zika. [...]

É no Verão que o mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão da dengue, tem sua reprodução facilitada pelas condições climáticas.  Em pesquisa realizada pelo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), a taxa de incidência em 2017 foi de 116 casos de dengue por 100 mil habitantes. Foram confirmados 122 casos de óbito por dengue em todo país até 11 de novembro deste ano.

É estimado que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo. A água parada se torna o paraíso dos pequenos insetos que conseguem se reproduzir tanto em água limpa quanto suja. É importante eliminar os focos de água parada existentes na casa ou rua em que residimos.

O maior surto de dengue no Brasil ocorreu em 2013 com aproximadamente 2 milhões de casos notificados. Já existem repelentes e inseticidas que podem ser adotados para a prevenção. É interessante lembrar que o mosquito transmissor da dengue, transmite também a Chikungunya e o vírus Zika.

O Ministério da Saúde recomenda alguns cuidados no uso de repelentes e inseticidas:

  • Repelentes de uso tópico devem ser aplicados nas áreas expostas do corpo e por cima da roupa;
  • A reaplicação deve ser realizada de acordo com indicação de cada fabricante;
  • Para aplicação da forma spray no rosto ou em crianças, o ideal é aplicar primeiro na mão e depois espalhar no corpo, lembrando sempre de lavar as mãos com água e sabão depois da aplicação.
  • Em caso de contato com os olhos, é importante lavar imediatamente a área com água corrente.

Fonte:

http://portalsaude.saude.gov.br

http://combateaedes.saude.gov.br

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/28/LIRAa-e-nova- campanha.pdf

Ascom/Apm

13.12.2017

Send this to a friend