Processos de gerenciamento nos clubes de futebol é tema de debate na F2J

O evento reuniu profissionais da imprensa, técnicos de futebol e membros do cenário esportivo [...]

Fotos: Ascom F2J

Foi realizado na noite da última sexta-feira ,26, no auditório Capela da Faculdade 2 de Julho (F2J), o seminário “Modelos de Gestão em Clubes de Futebol”. A atividade desenvolvida pelos alunos da 4ª turma do curso do curso de pós-graduação MBA em Gestão Esportiva da instituição, contou com a presença de profissionais ligados ao mundo do futebol nacional e internacional, além de professores da F2J e público externo, que analisaram os aspectos técnicos para uma boa administração no esporte.

O evento marcado pelo debate expositivo e a troca de experiências pessoais, destacou a importância da profissionalização dos gestores frente aos clubes, a relação da mídia com o esporte e os pilares que compõem o futebol como ferramenta social. O professor Wilson Manoel, coordenador do curso, destacou o protagonismo dos alunos em levar o que acontece no ambiente acadêmico para a exposição da realidade.

“A criação e o desenvolvimento do seminário foi maravilhoso. Isso engrandece a F2J remetendo ao mercado soluções na profissionalização das pessoas e as transformações necessárias na gestão do esporte no brasil”, aponta o coordenador.

O coordenador do curso de pós-graduação em MBA em Gestão Esportiva da F2J, Wilson Manoel reforçou a perspectivas dos alunos na modernização do esporte.

Segundo o jornalista e apresentador do programa Bar FC, Álvaro Acioli, existem modelos de gestão diferentes no futebol, mas para que os resultados positivos aconteçam o planejamento tem quer ser respeitado. “O futebol é um esporte de resultados de prazo muito curto, quando não se chega ao sucesso parece estar tudo errado. Para mudar essa filosofia é necessário dar tempo aos profissionais e ter a convicção que o desempenho almejado é gradativo”, analisa.

De acordo com João Felipe de Sá, professor de direito desportivo do MBA, o modelo de gestão associativo tem que ser repensando porque a questão jurídico-empresarial tem consequências na administração do clube. “Este modelo engessado não permite a captação de novos investimentos, o controle sobre as dívidas financeiras e a quebra da monopolização nas receitas de TV passadas”, pontua.

A mesa redonda teve atuação de profissionais nos diversos segmentos do futebol.

Métodos

Para Rui Tourinho, aluno da 4º turma do curso e mestre de cerimônia do evento, o debate sobre as melhorias e as inovações de gestão no futebol brasileiro é fator primordial para o sucesso dos clubes. “Não existe um modelo ideal de administração. Cada clube vai adotar os princípios de acordo com a sua infraestrutura, objetivos e recursos financeiros. Estar atento a essas reformulações junto às confederações que realizam o esporte é um passo fundamental para o sucesso”, indica.

Representante feminina da 4ª turma, Janaína Gaspar, reforça a participação da mulher no futebol e classifica que uma boa gestão pode ser aplicada em qualquer área do conhecimento. “Gerir um clube não tem uma receita de bolo, é necessário entender do capital humano, das relações comercias e as concepções que envolvem a emoção do público torcedor”, analisa.

Confira mais fotos do evento abaixo:

Send this to a friend