Incentivo à literatura e direitos autorias são destaques em evento na F2J

A atividade realizada no auditório Capela reuniu professores, estudantes da instituição e convidados [...]

Fotos: Ascom F2J

O atual cenário das produções literárias no Brasil e no mundoe os processos que envolvem os direitos autorias foram temas abordados na noite da última terça-feira (23) no evento em comemoração ao Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor, realizado no auditório Capela da Faculdade 2 de Julho (F2J). A atividade promovida pela professora e coordenadora dos cursos de Comunicação Social da F2J, Camila Botto, teve objetivo de fortalecer o aprendizado acadêmico dos alunos da instituição em diversas áreas.

Estiveram presente no evento a jornalista e autora, Kátia Borges e o professor de Direito da F2J e advogado autoralista, Ricardo Duarte, que apresentaram um pouco das suas experiências para o público participante. De acordo com Camilla Botto, responsável por mediar atividade, o debate proporcionado pelos convidados fomenta a importância pela prática da leitura e reitera os princípios do respeito aos direitos autorais.

Camila Botto é coordenadora dos cursos de Comunicação Social e professora da instituição

“Tivemos dois vieses no evento, o da literatura que está ligado com a comunicação, todo jornalista é um pouco escritor, e a questão do direito autoral, o senso ético de não plagiar obras de outras pessoas”, destaca a coordenadora.

Segundo Kátia Borges, todas as pessoas têm o direito e a capacidade de escrever. Para a jornalista e autora, é fundamental abordar a temática dos livros na sociedade. “Nunca foi tão necessário a leitura para que a gente pudesse compreender um pouco sobre nossa realidade, além da percepção de como é criado um determinado imaginário de épocas passadas”, aponta Kátia.

Kátia Borges, que será curadora da 9º edição da Festa Literária Internacional em Cachoeira (Flica) realizada em outubro, apresentou no evento os desafios vivenciados pelos escritores baianos.

Professor de direito da F2J, Ricardo Duarte, revela que a data do dia mundial do livro e direito do autor é um momento importante dentro da cultura nacional e internacional, uma vez que, para ele, leitura é conhecimento e ciência. “Desenvolver no ambiente acadêmico esses conceitos e em paralelo o direito do autor, que é um instituto jurídico que visa proteger o criador intelectual de obras literárias, artísticas e científicas, é indispensável”, comenta.

Professor do curso de direito da instituição, Ricardo Duarte, salientou que o plágio antes de ser uma questão jurídica é um problema ético.

Além disso, o professor detalhou as questões dos direitos autorais inerentes as obras literárias a exemplo das biografias não autorizadas, o plagio e a expansão de possibilidade de acesso aos materiais. “No ambiente acadêmico algumas vezes os alunos acabam tendo acesso às obras de uma forma ilícita o que a lei não permite, então traçar um paralelo entre a necessidade de haver novos autores e consequentemente novos leitores desenvolve o mercado e a economia”, acrescenta.

Confira outras fotos do evento:

Send this to a friend