Gestão Esportiva: Ricardo Palmeira conta sua experiência.

"Na minha vida, a Pós-graduação em Gestão Esportiva tem um lugar de destaque entre esses momentos. Tive o privilégio de integrar a 1º turma de pós-graduandos, no curso que se estendeu de setembro de 2014 a junho de 2016." [...]

Sabe aqueles momentos que são altamente relevantes na vida, mas que você só compreende a verdadeira dimensão com o passar do tempo? É quando você olha para trás e se dá conta do quanto aquela experiência te marcou e, principalmente, te transformou.

Na minha vida, a Pós-graduação em Gestão Esportiva tem um lugar de destaque entre esses momentos. Tive o privilégio de integrar a 1º turma de pós-graduandos, no curso que se estendeu de setembro de 2014 a junho de 2016.

Ingressei no curso porque queria me aprofundar no esporte, mundo a respeito do qual eu escrevia. À época, eu era jornalista esportivo no A Tarde.

Contudo, o legado do curso superou minhas expectativas. Em março de 2017, eu me mudei para São Paulo. Um mês depois, comecei a trabalhar no departamento de comunicação de uma consultoria de contabilidade e gestão empresarial. Foi ali que comecei a ter a dimensão desse legado.

A qualificação que eu havia adquirido na pós-graduação me permitiu uma adaptação extremamente rápida ao meu novo ambiente de trabalho. Eu conseguia compreender o negócio no qual eu estava envolvido com uma naturalidade quase inimaginável três anos antes. Isso facilitava minha absorção de informações e os meus debates com o comando executivo da empresa a fim de otimizar os métodos nas áreas em que eu estava me especializando: marketing de conteúdo, assessoria de imprensa, mídias digitais, comunicação interna e comunicação com clientes.

Isso ocorreu baseado em dois grandes pilares da pós-graduação: o primeiro, a assimilação de novos conhecimentos, com destaque para estudos sobre governança, gestão de relacionamento com o cliente, marketing e técnicas assertivas de empreendedorismo.

O segundo pilar foi a expansão dos meus horizontes com a consequente evolução na forma de pensar, agir e falar.  Tudo graças ao estímulo gerado pelas constantes leituras, pelas novas experiências, pelos novos contatos profissionais e pelos debates que realizamos ao longo de aproximadamente dois anos. A coalisão produtiva de ideias transforma uma cabeça.

À época, eu tinha uma compreensão “micro” da situação: o que enxergava era a somente evolução pontual em determinados aspectos da minha qualificação profissional. Hoje, já vivendo uma nova etapa da vida, descobri em mim uma visão, além de “macro”, mais profunda: olho para trás, me comparo comigo mesmo e vejo o quanto tudo aquilo me transformou. Para além de adquirir uma compreensão do esporte incomparavelmente maior, me tornei um profissional multidisciplinar, mais qualificado, mais racional e, agora, conectado às mais contemporâneas diretrizes da gestão corporativa.

 

Ricardo Palmeira.

Assista o vídeo com o depoimento de Ricardo Palmeira.

Send this to a friend