Fundação preserva memória de Jaime Wright com manutenção de acervo

Espaço reúne objetos pessoais, documentos e livros do aguerrido defensor dos direitos humanos [...]

Fotos: Ascom F2J

O Memorial Jaime Wright, preservado pela Fundação 2 de Julho, instituição mantenedora do Colégio 2 de Julho e da Faculdade 2 de Julho, é um espaço destinado à conservação de documentos e objetos relacionados ao reverendo Jaime Wright.  O local guarda a memória de um dos mais aguerridos defensores dos direitos humanos no Brasil.

O acervo preserva objetos pessoais do reverendo, documentos, recorte de jornais e livros da sua biblioteca particular. Atualmente, o memorial está passando por um processo de restauração e formação do banco de dados. Por este motivo,  pesquisas e visitas ainda não estão abertas para o público externo.

Entretanto, alunos, professores e colaboradores da Faculdade 2 de Julho podem realizar visitas  às segundas e quartas-feiras, das 10 às 18 horas. Nas terças e quintas o horário é das 10 às 12 horas.

Combate à ditadura

Coordenadora do memorial, a professora Ana Angélica Marinho, ressalta a importância do reverendo Jaime Wright no processo de enfrentamento à ditadura militar.  ” O reverendo Jaime Wright utilizou menos a política e mais as suas convicções religiosas, na melhor compreensão do que é o papel da religião, especialmente a concepção de fraternidade. Em conjunto com dom  Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo, e o rabino Henry Sobel, ele elaborou o projeto que resultou no livro Brasil: Nunca Mais, que é um divisor de águas na história do país”, afirma a professora.

Professora Ana Angélica salienta o papel do reverendo Jaime Wright na defesa dos direitos humanos

Segundo a professora Ana Angélica, em meio às suas atividades de combate aos horrores da ditadura, o reverendo ainda contribuiu para o desenvolvimento de uma educação inclusiva que é a marca da Fundação 2 de Julho.  “É impossível desvincular o nome de Jaime Wright da história da Fundação 2 de julho. O reverendo está marcado na memória recente do Brasil, particularmente no que se refere ao período mais obscuro do país que foi a ditadura militar. Jaime Wright foi um herói brasileiro, um combatente no movimento pela democracia e na  luta pelo direitos humanos”, salienta.

Conheça algumas das peças do memorial: 

Livros e documentos relacionados à trajetória do reverendo Jaime Wright
Espaço com alguns objetos pessoais do reverendo Jaime Wright
O livro Brasil: Nunca Mais,  publicado em 1985 é um marco na história dos direitos humanos no país. A publicação é um dossiê sobre a tortura desencadeada pelo próprio estado

Confira a programação da 14ª Conferência Jaime Wright de Promotores da Paz e dos Direitos Humanos clicando aqui. 

Send this to a friend